Contato

Rua Procópio Manoel Pires, 84 – Florianópolis, SC

Disponíveis de segunda à sexta. +55 48 99166 8875 contato@nvlo.com.br
O que fazemos

Produzimos
conteúdos
que engajam

Quer se conectar com seu público-alvo?

Gestão de projetos

Auxiliar na contratação de fornecedores (designers gráficos, desenvolvedores, redatores e profissionais de mídia no geral), organizar fluxo de atividades e prestação de contas.

Design

Produção de materiais de divulgação (logo, cartão de visita impresso e digital, rodapé de e-mail, catálogos, banners e etc).

Mídia

Gestão de tráfego pago em canais digitais como Linkedin, Facebook, Google, Twitter e Pinterest. Além de follow-up com imprensa, contratação de influencers e suporte em eventos on-line.

Web Design

Desenvolvimento, atualização e otimização SEO de sites institucionais, e-commerces e páginas de captura.

Conteúdo

Produção de conteúdo Web com foco em SEO: blog posts, redes sociais, e-mail marketing e textos para sites, legendas de YouTube e descrição de produtos para e-commerce.

Fluxo de automação

Comunicação personalizada, nutrição de leads, melhoria de processos internos e base de contatos qualificada.

Conte-nos
do seu projeto

A NVLO é uma empresa de gerenciamento de projetos criativos, que se diferencia bastante de uma agência de publicidade ou marketing digital tradicional. Somos bastante flexíveis e plurais em termos de equipe.

A principal diferença está na operação enxuta e assertiva em cada projeto. Sempre realizamos a análise do histórico do cliente e seu cenário atual, para desenhar estratégias que cabem no seu orçamento. Todos os serviços são calculado por hora trabalhada, por isso, é possível oferecer planos para empresas de diversos formatos e tamanhos.

Pedido de orçamento




    • Bubble
    • Bubble
    • Bubble

    Histórico

    Nos últimos anos, produzimos conteúdo para marcas em diversos formatos como: e-books, blog posts, mídia posts, e-mails promocionais e textos para websites – conjunto de peças para campanhas publicitárias e Inbound Marketing.

    3 +
    (Anos) de atividades
    72 +
    Projetos entregues
    25 +
    Parceiros
    45 +
    Clientes

    Portfólio
    Design & Branding.

    Personalize Sua Viagem

    Branding , Website

    Desenho de marca, Logo, Papelaria, Website, Tráfego Pago

    Personalize Sua Viagem

    A agência de viagens on-line, procurou a NVLO para cuidar da sua marca, desde a criação da logo até a definição de estratégias de marketing para alcançar potenciais clientes e posicioná-los nos meios digitais.

    Entrega

    Neste projeto, já produzimos logo, cartão de visita, rodapé de e-mail, website, criação de conteúdo (ebook, posts mídias em blog e redes sociais), tabela de preços, PPT Comercial, landing pages e e-mails para disparo em campanhas de Inbound Marketing. Atualmente, realizamos a gestão de trafego pago da marca no Google Ads e auxiliamos na criação de conteúdo SEO.

     

     

    Pirani, De Ávila Advogados

    Branding , Design

    Pirani, De Ávila Advogados

    O Escritório de Advocacia Pirani, de Ávila Advogados atuante nas aéreas do Direito Empresarial, Contratual, Consumidor e Digital – solicitou a NVLO a criação de sua identidade visual e materiais de papelaria.

    Entrega

    • Logo;
    • Cartão de visita;
    • Papel Timbrado – A4;
    • Pasta de Processo – A4
    • Papel de Parede (Digital).

    Dra. Luana Harada

    Branding , Website

    Dra. Luana Harada

    A Dra. Luana Harada solicitou a NVLO a criação de sua identidade visual, bem como, cartão de visita, perfil de Instagram, sessão fotográfica, produção de websérie para IGTV e website.

    Entrega

    • Logo;
    • Paleta de cores;
    • Perfil de Instagram;
    • Conteúdo fotográfico;
    • Textos de site;
    • Revisão de roteiros de IGTV;
    • Gestão de produção de websérie;
    • Website.

    Ensaio de fotos

    Copa Café

    Branding

    Desenho de marca, Logo, Criativo, Design, Designer

    Copa Café

    Fomos convidados para desenhar a marca do Copa Café, que funcionaria dentro da Puela – espaço colaborativo em Londrina-PR. O conceito ‘take away‘ seria implementado, devido a sua localidade na cidade e modelo de negócios.

    Entrega

    Nós entregamos opções de marca, baseado no briefing de utilizar um Flamingo como elemento principal, por conceito e afinidade do SOLICITANTE dos seviços. Veja uma amostra do resultado:

    Agrosul

    Branding

    Agrosul

    A Agrosul é uma revenda de implementos agrícolas do interior do Pará, que solicitou a NVLO a criação de sua identidade visual, bem como, materiais de papelaria.

    Entrega

    • Logo;
    • Cartão de visita;
    • Papel timbrado;
    • Ordem de Compra;
    • Assinatura de e-mail;
    • Camisetas.

    Coleção Interstellar

    Design

    Coleção Interstellar

    A Polippo Art Shop, loja colaborativa de produtos criativos e galeria de arte on-line, solicitou a criação de de estampas de camisetas para sua nova coleção – o conceito era inspirado no filme Interstellar.

    Entrega

    • 7 estampas de camisetas;
    • 7 posters.
    Por trás das telas

    Equipe

    Conheça a dupla de produtoras responsáveis
    pela gestão dos projetos.

    Juliana Polippo

    Multimedia
    Producer

    Rafaela Nassri

    Executive
    Producer
    Conexões

    Parceiros
    eficientes

    Durante esses anos de atuação
    no mercado criativo, construímos
    parcerias capazes de atuar estrategicamente.

    logo_buenna
    logo-ramon-matos
    metamidia-facebook-trans

    Blog

    Aqui você encontrar artigos para blogs produzidos para os nossos clientes, parceiros e conteúdos exclusivos da NVLO para vocês.

    Estradas montanhosas: guia para motoristas

    Dirigir em estradas montanhosas é bem diferente de dirigir em estradas planas. Não é tão fácil, mas é claro que

    Leia mais

    Dirigir em estradas montanhosas é bem diferente de dirigir em estradas planas. Não é tão fácil, mas é claro que também não é um bicho de sete cabeças. Há duas situações diferentes ao dirigir em estradas montanhosas. Ou você está subindo ou descendo.

    Normalmente, se você é inexperiente em trechos assim, você estará considerando a condução para cima como a mais complicada, mas não é o caso, na verdade, acidentes na maioria ocorrem quando os veículos estão em posição descendente em uma estrada.

    Então, a seguir algumas dicas importantes de como conduzir em estradas montanhosas.

    Use marchas reduzidas para descer e subir

    Para um desempenho ainda melhor em topografias íngremes, recomenda-se o uso de marchas reduzidas. No caso da descida, isto vai limitar a tensão no motor e nos freios de seu veículo e o ajudará a controlar sua velocidade. Certifique-se de fazer isso antes de começar a descer, pois a troca de marchas durante uma inclinação acentuada pode ser perigosa.

    E para subir também é preciso usar marchas menores, como a 1ª ou a 2ª no máximo, para que o carro ganhe força e tração.  Jamais mude de marcha no meio de uma subida, achando que isso dará mais aceleração. O segredo é sempre embalar no ponto mais baixo e usar essa velocidade de forma constante durante o percurso montanhoso. Se o seu carro for mil, não se assuste se ele fizer um barulho de que está se “esforçando”, pois ele certamente estará, mas vai sobreviver uns metros de subida, sem a menor sombra de dúvida.

    Em casos de carros de câmbio automático, é possível limitar a troca de marchas para superiores, mas cada modelo possui uma forma diferente de sinalizá-las, caso não saiba, leia o seu manual e selecione-as com segurança.

    Observe seu medidor de temperatura

    Enquanto estiver subindo, fique de olho no medidor de temperatura do motor e tente mantê-lo na zona segura. Se você o ver subindo acima do nível aceitável, desligue o ar condicionado e vá mais leve no acelerador – ou encoste onde é seguro e leve à vista enquanto seu motor esfria um pouco.

    Se patinar, não acelere mais e mais

    Ao conduzir por um trecho íngreme, se o seu carro ameaçar patinar, tire o pé do acelerador imediatamente e volte a acelerar de leve outra vez. Patinou de novo? Faça o mesmo procedimento.

    Vá tirando o pé e colocando novamente, até seguir que ele está saindo do lugar. Acelerar demais, vai fazer com que ele afunde no mesmo lugar e fique mais difícil ainda de sair do lugar.

    Atolou, o quê fazer 

    Caso esteja chovendo e/ou a estrada esteja molhada e o barro acumulando nas rodas, espere um pouco. Vá para um lugar seguro e espere secar a estrada, geralmente estradas montanhosas, escoam rápido às chuvas pelo declínio. Se essa não for uma possibilidade, tente colocar uma tábua na frente dos pneus mais afundados, para que o carro passe por cima e ganhe tração para subir. Se houver vizinhos ou amigos, chame-os para ajudar a empurrar e desencalhar.

    O que fazer com a estrada molhada sem 4×4, 4WD ou SUVs 

    • Se estiver ligado na previsão do tempo, leve o carro pra cima da montanha com bagagens mais pesadas antes da chuva engrossar. Deixe-o lá em cima, num local seguro e depois suba a pé até alcançar seu automóvel.
    • Espere na casa até a terra secar bem pra subir com mais facilidade e segurança.
    • Consulte a anfitriã para saber da possibilidade de permanecer na casa após o horário do seu check-out original.
    • Se nada disso der certo, chame um trator da região para puxá-lo morro acima, que vai ser sucesso.

    Dirigir em estradas montanhosas pode ser divertido e conter visuais incríveis. Aproveite-os, mas com segurança.

    A Casa JP não é uma pousada, um hotel ou hostel, e sim uma casa de campo que é disponibilizada para locações temporárias. Então, não oferecemos serviço de hotelaria. Certifique-se de estar aberto às experiências de turismo rural, pois você estará fora da cidade, trafegando por vias terrestres sem pavimentação, sem sinal de celular e/ou serviços rápidos e urbanos.

    Artigo produzido e publicado no blog da Casa JP.

    Taxa de importação: considere ao fazer um orçamento

    Você quer saber quais impostos para importação precisa pagar? Então, está no lugar certo. Neste artigo vamos trazer um panorama

    Leia mais

    Você quer saber quais impostos para importação precisa pagar? Então, está no lugar certo. Neste artigo vamos trazer um panorama das alíquotas praticadas no Brasil hoje, bem como uma base de cálculo detalhada e dicas de como classificar seus produtos.

    Impostos pagos na entrada de mercadorias no Brasil

    A tributação brasileira é complexa e com diversas variações, de todo modo, existem impostos inerentes às categorias de importação e que devem ser pagos para nacionalizar seus produtos (II, IPI, PIS/PASEP, COFINS, taxa SISCOMEX e ICMS). Para entender melhor os impostos de importação devidos aos nacionalizar seus produtos, aqui estão os detalhes:

    • Imposto de Importação (II)

    Como o próprio nome sugere, é a alíquota cobrada sobre os produtos importados que dão entrada em território nacional. Veja a seguir como é tarifado:

    Base de Cálculo: VA *Alíquota de II

    VA: Valor Aduaneiro incluindo o valor da mercadoria, transporte internacional, seguro e Taxa de Movimentação no Terminal (THC) – cobrada na chegada da mercadoria ao porto.

    Veja o exemplo:

    Valor Aduaneiro (VA) = R$ 10.000,00

    Alíquota de II = 14%

    II = VA x Alíquota de II

    Valor de Imposto de Importação (II) =

    R$ 10.000,00 x 0,14

    = R$ 1.400,00 

    • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)

    Trata-se de um imposto federal que incide sua alíquota sobre produto importados e fabricados no Brasil. Em termos de importação, conta com caráter arrecadatório e responsabilidade de regulamentar o mercado interno.

    Base de Cálculo: (VA + II) *alíquota do IPI

    Veja do exemplo anterior:

    VA = R$ 10.000,00

    II 14% = R$ 1.400,00

    Por exemplo:

    Alíquota de IPI = 15%

    Valor devido de IPI =

     (R$ 10.000,00 + R$ 1.400,00) x 0,15

    = R$ 1.710,00

    1. Programa de Integração Social (PIS/PASEP) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)

    Devido à lei n° 10.865/01 de 30 de maio de 2004, Ficam instituídas a Contribuição para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público incidente na Importação de Produtos Estrangeiros ou Serviços – PIS/PASEP e a Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social devida pelo importador de bens estrangeiros ou serviços do exterior – COFINS-Importação. As taxas são respectivamente de 1,65% e 7,6%. Entretanto, o valor pode variar para alguns bens (por exemplo: produtos petrolíferos, pneus, embalagens, etc.)

    PIS/PASEP

    Base de cálculo: (VA * Alíquota PIS/PASEP do produto)

    Veja o exemplo:

    VA = R$ 10.000,00

    PIS/PASEP = 1,65%

    Valor do PIS/PASEP =

    10.000,00 x 0,0165 =

    R$ 165,00

    COFINS

    Base de cálculo: (VA * Alíquota de COFINS do produto)

    Veja o exemplo:

    VA = R$ 10.000,00

    COFINS = 7,60%

    Valor do PIS/PASEP =

    10.000,00 x 0,076 =

    R$ 760,00

    • Taxa Siscomex

    Imposto cobrado pelo uso do Sistema de Comércio Exterior (Siscomex), recentemente alterado e formalizado na PORTARIA ME Nº 4.131, DE 14 DE ABRIL DE 2021.

    Taxa: R$ 115,67 de taxa principal por declaração de importação (DI) e para cada adição de produto na declaração de importação (DI), observar os seguintes limites:

    • Até a 2ª adição – R$ 38,56 (por cada adição);
    • da 3ª à 5ª – R$ 30,85 (por cada adição);
    • da 6ª à 10ª – R$ 23,14 (por cada adição);
    • da 11ª à 20ª – R$ 15,42 (por cada adição);
    • da 21ª à 50ª – R$ 7,71 (por cada adição);
    • a partir da 51ª – R$ 3,86 (por cada adição).
    • Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM)

    É um imposto criado para apoiar o desenvolvimento da Marinha Mercante e da construção e recuperação da indústria naval brasileira. O imposto é cobrado nas operações de descarga em todos os portos marítimos do país.

    O valor do frete é a base de cálculo para este imposto. A taxa AFRMM é cobrada da seguinte forma:

    • 25% para o transporte marítimo de longa distância (importação)
    • 10% para o transporte costeiro
    • 40% para o transporte fluvial e lacustre

    Base de cálculo: Valor do Frete * (%) correspondente ao AFRMM + Taxa de Utilização do Sistema Mercante (Porto)

    Veja o exemplo:

    Valor do frete = R$ 1.000,00

    AFRMM (Importação) = 25%

    Taxa de Utilização do Sistema Mercante = R$ 21,20

    Valor do AFRMM =

    (1.000 x 0,25) + 21,20 = R$ 271,20

    • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)

    Com efeito, o imposto é pago apenas sobre o valor agregado, e repassado ao comprador final (incluído no preço da mercadoria). O imposto ICMS devido ao governo estadual é baseado nos impostos cobrados sobre as vendas de uma empresa, menos os impostos pagos na compra de matérias-primas e bens intermediários.

    O imposto ICMS é cobrado tanto em transações intra-estaduais como interestaduais, sendo cobrado em cada transferência ou movimentação da mercadoria. A alíquota vária entre os estados: no Estado de São Paulo, a alíquota vai de 7% a 18%. Nos movimentos interestaduais, o imposto será cobrado à alíquota aplicável ao estado de destino.

    Base de cálculo: Valor aduaneiro + II + IPI + demais impostos + taxas + despesas aduaneiras / (1 – alíquota estadual)

    Classificação tarifária 

    Em 1995, o Brasil implementou a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), uma lista hierárquica das mercadorias, que toma por base do Sistema Harmonizado (SH), para a classificação tarifária. Em linhas gerais, dizemos que a NCM define quais são as alíquotas aplicadas em cada produto importado.

    Os procedimentos aduaneiros por aqui são burocráticos e raramente tolerantes aos erros contidos na declaração de importação (DI). Os documentos devem ser meticulosamente preparados para evitar problemas. Devido as diversas variáveis contidas na NCM, encontrar a classificação correta das mercadorias é muitas vezes repleta de riscos.

    Um exemplo de como as leis no nosso país são severas, uma multa de 10% sobre o valor aduaneiro da mercadoria importada pode ser cobrada, se o produto não for classificado e tributado corretamente. Isto provavelmente será aplicado mesmo que o contribuinte tenha cometido o erro por engano ou falta de conhecimento em como classificar determinada mercadoria. O conselho é contar com um profissional para classificar corretamente a NCM do item e não correr o risco de ser multado pela Receita Federal.

    O Simulador do Tratamento Tributário e Administrativo das Importações é uma ferramenta prática e rápida que você encontrará no site da Receita Federal. Nele, basta adicionar o código NCM e o Valor Aduaneiro para obter o cálculo dos impostos envolvidos na sua importação. Isso pode otimizar e muito sua planilha de custos logísticos e revenda de produtos.

    Taxa anti-dumping

    Em 2013, o Brasil emitiu um novo regulamento anti-dumping, o Decreto 8058/2013. As novas regras foram inseridas num contexto de aperfeiçoamento do sistema de reparação comercial, no âmbito de uma política industrial que visava proteger a produção interna contra importações.

    Desde então, a prática de dumping consiste na introdução de um produto no mercado doméstico brasileiro, a um preço de exportação inferior ao seu valor normal. Para isso, instituiu-se que o “valor normal” de um produto, tem como base um “produto similar” que esteja destinado ao consumo no mercado interno do país exportador.

    Visto isso, serão aplicadas às medidas antidumping quando a importação de um determinado produto, objeto de dumping causar dano à indústria doméstica. Cabe ao Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (CAMEX), com base nas recomendações do Departamento de Defesa Comercial (DECOM), a responsabilidade de aplicar ou prorrogar os compromissos de preços, assim como taxa antidumping provisórias ou definitivos, para equalizar a comercialização do produto no mercado nacional.

    Acordos Comerciais

    O Ministério das Relações Exteriores é responsável pela negociação de acordos comerciais, com outros membros da Câmara de Comércio Internacional. O Ministério da Economia apoia diretamente o Ministério das Relações Exteriores nas negociações. E existem diversos tratados comerciais vigentes e em negociação, entre os países para a livre circulação de mercadorias, assim como preferências tarifárias na importação e exportação, de acordo com o país de origem ou destino.

    O Brasil faz parte do Mercosul desde 1991, a conhecida união aduaneira inicialmente acordada entre Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Em agosto de 2012, a Venezuela tornou-se membro do grupo, embora tenha sido suspensa do bloco desde agosto de 2017. A Bolívia também aderiu o tratado em julho de 2015. Os membros associados do bloco comercial são Chile (desde 1996), Peru (desde 2003), Colômbia (desde 2004), Equador (desde 2004), Guiana e Suriname (desde 2013). O objetivo é estabelecer uma zona de livre comércio em todo o Mercosul entre todos os membros associados.

    E também é membro da OMC, fazendo parte do Acordo Geral sobre o Comércio de Serviços (GATS) desde sua adesão em 1995. É membro do Acordo Regional de Cooperação e Troca de Bens nas Áreas Cultural, Educacional e Científica (AR No.7) da ALADI, que pretende promover um mercado comum de bens e serviços culturais. Entretanto, o não é membro das negociações do TiSA.

    Para saber mais sobre os acordos comerciais vigentes entre o Brasil e outros países em termos de comércio exterior, consulte aqui.

    Isenção e redução de impostos de importação

    O governo brasileiro eventualmente emite notas e decretos de isenção e redução de Impostos de Importação para determinados produtos e falamos mais detalhadamente sobre eles no artigo “O que são produtos sem similares e como importá-los“, se estiver interessado, passa por lá depois que terminar essa leitura aqui.

    Direitos de importação no Brasil

    Ao realizar compras on-line em lojas estrangeiras, um modelo simplificado de tributação é aplicado às compras entre $50 dólares e $3.000 dólares, o que significa que todas as categorias de produtos obedecem às mesmas regras.

    Compras abaixo de $50 dólares 

    Produtos abaixo do valor total de $50 dólares são desembaraçados com insenção de impostos de importação (De Minimis), desde que o remetente e destinatários sejam pessoas físicas.  Este fato ajuda a impulsionar as aquisições de produtos importados no país, uma vez que, as encomendas acabam tendo um bom custo-benefício para os clientes brasileiros.

    É importante levar em consideração se valor total inclui o preço do produto, custos com transporte e seguro. A isenção de taxas de importação não se aplicam as encomendas expressas internacionais feitas por transportadoras expressas com serviço de encomendas internacionais porta a porta – às conhecidas empresas de courier.

    Compras entre $50 dólares e $3.000 dólares 

    As mercadorias importadas acima de USD 50 estão sujeitas a um modelo simplificado de tributação, adicionando 60% ao preço da parcela. Além disso, o ICMS, abordado no primeiro tópico e entendido como um tributo estadual, pode ser aplicado neste caso.

    Compras acima de $3.000 dólares 

    As compras acima de $3.000 dólares seguem às regras de tributação, conforme explicado acima, e neste caso o modelo simplificado não é aplicado. Neste caso, o importador deve procurar uma importadora especializada ou um despachante aduaneiro.

    O não cumprimento das leis fiscais e alfandegárias geralmente leva a sanções e multas pesadas.

    Para facilitar a importação e aplicação corretas destas medidas fiscais, a ST Importações oferece serviços especializados, que proporcionam agilidade e segurança às suas operações de comércio exterior. Somos especialistas em certificações de vastas linhas de produtos, adequando-os às normas brasileiras, de acordo com suas necessidades.

    Artigo produzido e publicado no blog da ST Importação.

    Photo by Kelly Sikkema on Unsplash.

     

    Qual a diferença entre carros elétricos e híbridos?

    Os veículos elétricos estão ganhando popularidade no mundo todo à medida que as pessoas se preocupam mais com a mudança

    Leia mais

    Os veículos elétricos estão ganhando popularidade no mundo todo à medida que as pessoas se preocupam mais com a mudança climática. Se você está pensando em mudar para um carro ecológico, continue lendo. Apontaremos as principais diferenças entre eles.

    Como se move um carro elétrico?

    Enquanto os veículos convencionais funcionam com gasolina, que emite monóxido de carbono e outros gases no meio ambiente, os carros elétricos (EVs), queimam menos e realizam emissões mais limpas a cada km rodado.

    Os carros elétricos armazenam sua energia em uma bateria de íons de lítio, que alimenta um motor elétrico. Uma transmissão de velocidade única envia energia do motor para as rodas, permitindo que o carro se movimente. Em geral, os EVs têm menos peças do que seus veículos convencionais equivalentes. Eles também têm menos componentes que os veículos híbridos ou híbridos plug-in, tornando-os uma escolha ecologicamente correta em vários níveis.

    As peças dos carros elétricos e convencionais são diferentes?

    Naturalmente, a grande diferença entre os carros convencionais e carros elétricos está em como eles são movidos. Basicamente, o que muda são a forma como são alimentados (gasolina ou energia elétrica) e os componentes internos, tais como peças e partes do motor. Os carros elétricos tem partida, a partir de um ou mais motor-gerador elétrico. Enquanto, os carros convencionais usam um motor de combustão interna, com pistões móveis que se movimentam para que o veículo ganhe movimento e continue rodando.

    A energia para alimentar os motogeradores elétricos é armazenada na bateria, mas não a típica bateria de chumbo-ácido de 12V que estamos acostumados a ver nos carros convencionais. As baterias dos carros elétricos são geralmente de íon-lítio, o que embala mais energia em um pacote menor. Em vez de reabastecer um carro elétrico, você o recarrega. Onde um carro convencional tem um tanque de gasolina que precisa ser reabastecido, um elétrico possui um conector para ser carregado em casa ou numa estação, como num posto de gasolina.

    Como é a mecânica dos carros híbridos?

    Os veículos híbridos têm dois motores, o motor de combustão interna com vela de ignição e um motor de tração elétrica alimentado por uma bateria de íons de lítio semelhante aos elétricos, mas com uma capacidade menor. Como os EVs, os veículos híbridos utilizam essa bateria para alimentar o motor – mas somente em determinadas circunstâncias. Os veículos híbridos dependem de um motor de combustão interna para a maior parte de sua condução.

    As baterias de carros híbridos suportam uma carga menor que um EV, e a bateria é carregada quando o motor a gasolina funciona. Isto ajuda os carros híbridos a obter melhor quilometragem no trânsito, o que é o oposto dos veículos totalmente movidos a gás, que sofrem com um número menor de quilometragem nas ruas movimentadas da cidade e podem alcançar melhor economia de combustível em rodovias numa velocidade constante.

    Quais são os benefícios dos veículos híbridos plug-in?

    Os veículos híbridos geralmente percorrem uma média de 15 a 20 km com uma única carga de bateria, antes do motor a combustão entrar em funcionamento, já os veículos híbridos plug-in estendem esse alcance até 70 km com uma única carga.

    Em tráfego urbano, a tecnologia PHEV também recarrega através da frenagem regenerativa, entregando uma autonomia ainda maior. Os motoristas podem usar o PHEV em uma viagem curta, sem precisar abastecer seu tanque de gasolina, se tornando perfeito para alguém que dirige curtas distâncias e também possuem acesso ao seu próprio carregador (estação de carga EV local ou em sua casa).

    Entre carros híbridos e elétricos: qual é mais verde?

    Se você estiver comparando veículos híbridos e elétricos, os EVs sairão na frente como a escolha mais sustentável. Especialmente se você usar energia solar ou eólica limpa para carregar EV, você eliminará a utilização de combustíveis fósseis para alimentar seu carro.

    Dependendo de seus hábitos de direção, um híbrido plug-in pode ser tão sustentável quanto um elétrico. Se você fizer apenas viagens curtas e depois carregar a bateria até uma carga completa antes de sua próxima viagem, você não queimará gasolina. Entretanto, um EV híbrido plug-in ainda tem mais componentes e peças convencionais que requerem manutenção, o que aumenta o uso total de carbono, tanto para a fabricação quanto para a utilização.

    Espero que tenha entendido um pouco mais deste funcionamento interno dos carros elétricos e híbridos e porque eles têm vindo para mudar os nossos hábitos de consumo e formas de locomover. Conta para a gente, você espera ter um carro desses em quanto tempo? Se já possui um e está precisando de peças usadas de qualidade, consulte o catálogo on-line da Genebra Auto Peças.

    Artigo produzido e publicado no blog da Genebra Autopeças.

    Photo by CHUTTERSNAP – Unsplash

    Ebook Japão I – Roteiro de 04 dias

    Você está procurando roteiros culturais (possíveis) e econômicos? Neste ebook você terá acesso ao meu roteiro completo do Japão – parte

    Leia mais

    Você está procurando roteiros culturais (possíveis) e econômicos?

    Neste ebook você terá acesso ao meu roteiro completo do Japão – parte I de 4 dias. Espero que você possa conhecer um pouco do mix que é Tóquio e seu entorno, composto por muita tecnologia, mas também tradições milenares.

    Rafaela Nassri - Japão

    Roteiros exclusivos

    Quer saber exatamente o que fazer durante alguns dias em Tóquio? Você pode entrar em contato com a Personalize sua Viagem, se quiser receber todo suporte necessário para inspirar suas aventuras e viver novas experiências.

    Meu nome é Rafaela, trabalho com produção cultural e também sou apaixonada por viajar. A arte e a cultura de cada local me traz a possibilidade de compreender o outro e conhecer novas formas de experienciar a vida.

    Viajar pelo Japão, mais precisamente explorar Tóquio e regiões em volta desta metrópole, me proporcionou conhecer a história desse povo tão organizado e determinado. Foram dias entre templos, trem bala, e muita tecnologia!

    Criei este ebook para compartilhar com vocês, um pouquinho do que pude encontrar e registrar por lá. Espero ajudar quem está planejando sua próxima viagem e em breve teremos a publicação do ebook Japão – parte II.

    A NVLO é parceira da Personalize Sua Viagem na criação deste conteúdo – revisando, editando fotos e diagramando o material.

    Planos & Preços

    Escolhao pacote de serviços que faz mais sentido para o seu projeto.

    Profissional

    Precisa de ajuda para manter o seu perfil sempre atualizado?
    R$ 349 / mês
    R$ 339 / mês
    • Calendário de conteúdo
    • 6 Publicações no Feed do Facebook e Instagram)

    Empreendedor

    Quer impulsionar o seu negócio nos canais digitais?
    R$ 549 / mês
    R$ 529 / mês
    • Calendário de conteúdo
    • 8 Publicações no Feed do Facebook e Instagram)
    • 1 Artigo para Blog (600 palavras) ou 1 Campanha Google Ads
    • Monitoramento de até 6 palavras-chave
    • Relatório de Resultados

    Empresas

    Quer aumentar o engajamento dos canais digitais da sua empresa?
    R$ 799 / mês
    R$ 749 / mês
    • Calendário de conteúdo
    • 12 Publicações no Feed do Facebook e Instagram)
    • 2 Artigo para Blog (600 palavras) ou 2 Campanha Google Ads
    • Monitoramento de até 12 palavras-chave
    • Relatório de resultados
    Vamos trabalhar juntos

    Você está precisando de uma equipe que vai além?

    Entre em contato